Search

Governador Carlos Brandão solicita que prefeitos da região metropolitana de São Luís passem a cobrar taxa de lixo da população

carlosbrandaonova.jpg

O governador Carlos Brandão (PSB), quer jogar uma bomba para dez prefeitos da região metropolitana de São Luís. No último dia 4 de dezembro, o chefe do executivo tentou reunir os gestores para discutirem a política tarifária para os serviços públicos de manejo de resíduos sólidos urbanos, a famosa TAXA DO LIXO. Porém nenhum se fez presente e só enviaram representantes, assim como o próprio Brandão foi representado pelo vice-governador Felipe Camarão (PT).

De acordo com o documento obtido pelo site www.diegoemir.com, a mensagem aponta que AXIXÁ, BACABEIRA, ICATU, MORROS, PAÇO DO LUMIAR, PRESIDENTE JUSCELINO, RAPOSA, ROSÁRIO, SANTA RITA e SÃO JOSÉ DE RIBAMAR, deveriam estar cobrando desde julho de 2021, a taxa do lixo.

Leia aqui o documento na íntegra

Para cobrança da taxa do lixo, os municípios precisam aprovar a Resolução em Colegiado, porém, nem um prefeito quer instituir o novo tributo público, ainda mais em ano eleitoral. Das dez cidades citadas, em seis, o atual prefeito tentará a reeleição e os que não podem se reelegem querem fazer seu sucessor.

Sem a presença dos prefeitos, a definição quanto a cobrança da taxa de lixo para os municípios da região metropolitana, foi mais uma vez adiada e sem previsão para uma solução.

Atualmente, os resíduos sólidos recolhidos na Ilha e nos municípios da região metropolitana são despejados no aterro sanitário de Titara em Rosário e vem sendo mantido com recursos do governo estadual e da Prefeitura de São Luís, que despeja a maior quantidade de lixo no local.

Existe uma proposta para que o aterro sanitário de Titara passe a produzir biocombustível e assim alivie a população da cobrança da taxa de lixo, porém a discussão ainda é embrionária.

Em breve, o Governo do Maranhão também quer incluir Alcântara e Cachoeira Grande no acordo.